Black Music

0

A Origem Da Black Music. Para que seja possível entender todos os desdobramentos e influências desse movimento cultural, é preciso saber um pouco mais sobre as suas origens. A Black Music americana começou com os escravos, trazidos da África como gado, em navios negreiros para trabalhar a terra e viver uma vida de misérias explorados por seus senhores até a morte.

No entanto, seu desejo de viver, de ver um amanhã melhor era tão forte que mesmo enfrentando as mais terríveis situações, estes homens e mulheres ergueram a cabeça e continuaram a brigar pela vida.

O Preconceito.

Embora a guerra civil americana (1861-1865) tenha libertado os escravos americanos do trabalho forçado, não conseguiu acabar com o preconceito existente, o que fez com que a Black Music ficasse confinada, inicialmente, nos bairros onde moravam os descendentes desses escravos.

Entretanto, por estarem livres, essas pessoas agora podiam reunir-se e cantar suas canções. Nos lugares frequentados pelos afro-americanos, esses compositores faziam suas festas e criavam suas melodias. Outros Estilos Musicais. Estilos musicais como o Jazz surgiram assim, de uma mistura de culturas, da junção de estilos da Black Music com os instrumentos harmônicos.

Características

Estas canções de trabalho cantadas nas grandes plantações do sul dos Estados Unidos tinham uma característica muito popular. Embora muitas utilizavam uma mistura de dialetos com o inglês, eram cantadas utilizando o sistema sincopado, de perguntas e respostas que veio a ficar tão conhecido pelo Blues. Neste padrão repetitivo, a improvisação desempenhava um papel muito importante, em oposição a música européia na qual grande parte dos músicos apenas utilizava a interpretação fiel das músicas.

A Black Music Na Igreja

Com a evangelização dos escravos, a Black Music entrou nas igrejas cristãs, mas trouxe consigo seu estilo rítmico tão característico. A Soul Music foi que também ajudou a influenciar tanto o Blues quanto o Jazz, era a maneira desses escravos de cantar os salmos nas igrejas, utilizando este estilo sincopado.

Mesmo que estas canções cantadas em igreja e que falavam sobre amor e a fé existam a muito tempo, o termo Soul, assim como sua popularização surgiu no final da década de 50, entre os jovens afro-americanos e foi muito influenciado pelos movimentos anti-guerra e anti-racial.

Esta era uma época de liberalismo social e a Soul Music recebeu toda essa influência cultural. Além disso, este gênero musical recebeu influência do gospel e do rhythm and blues gospel, e teve como grandes nomes artistas como Duffy, Joss Stone Amy Winehouse e muitos outros.

No Fim do século XVIII, ao do Sul do recém-criado Estados Unidos da América do Norte, após uma exaustiva jornada de trabalho, que só terminava com o pôr do sol, os negros estavam dispersos na vastidão das plantações de algodão do Delta do Mississipi.

Havia uma necessidade angustiante em saber se todos haviam sobrevivido a mais um dia de açoites e torturas, que lhes impunham os capatazes.

Em meio à escuridão surgiam gritos de lamento que identificavam cada um dos clãs. Gritos iniciados por um líder em torno de uma fogueira, conclamando todos do seu grupo a dirigi-se para aquele local. Os membros chegavam pouco a pouco. Neste instante o lamento se transformava em canto de louvor para recepcionar cada um deles com alegria.

Não havia gaita, violão, guitarra ou qualquer outro instrumento que não fosse a percussão de suas mãos calejadas pelo trabalho no plantio e colheita do algodão. E assim se passavam as primeiras horas da noite até que todos estivessem “reunidos” em torno da fogueira cantando e louvando.

Este estilo afro-americano, nascido em meio ao sofrimento e a angústia de uma geração escrava, no começo essa pratica era apenas religiosa, mais tarde passou a ser praticada com sensualidade nas casas noturnas por mulher, e também passou a retratar o humor, a ironia e a sensualidade da raça negra.

Mahalia Jackson, Muddy Water, Gold Gate Quartet, B.B. King entre outros, fizeram parte da primeira geração.


Patrocinado