Regional

0

O Brasil é um dos países com a maior riqueza musical do mundo. Ao longo dos seus pouco mais de 500 anos, o país ainda jovem desenvolveu diversos ritmos diferente, alguns com inspiração em outros trazidos por colonizadores, outros vindos da terra mesma quando começamos a escrever nossa própria história sozinhos. O fato é que nossa música é rica e contagiante, e merece bastante destaque e estudo para quem não conhece as diversas variações. A cada nova região, um novo ritmo contagia os locais. Conheça alguns a seguir: Forró Ritmo típico da região nordeste, em especial dos Estados de Pernambuco e Paraíba. A história do Forró é contada de forma bacana pelos locais. Dizem os historiadores que o forró era um ritmo bem diferente do que temos hoje, mas era uma música ainda animada a ser dançada entre os casais. Os colonizadores da região diziam para as pessoas irem dançar e chamavam os outros, diziam “for all”, ou seja, para todos, mas o nome foi aproveitado e acabou nomeando o ritmo. Este ritmo é uma junção de toré com o arrastar dos pés dos índios e ritmos de portugueses e holandeses, gerando em uma junção bem divertida. O ritmo é essencialmente tocado com uma sanfona e acompanhamentos, mas a sanfona é o instrumento mais conhecido. As letras falam de amor, romance e saudades da terra que deixou para trás, mas hoje quase todas as musicas viram forró. No começo as letras eram mais intensas e falavam da seca e vida do nordestino no interior de sol escaldante, mas hoje falam de festas, namoro e amizade. Muitos cantores modernos nordestinos traduzem letras internacionais e transformam em forró com suas versões. O forró deve ser dançado aos pares, em movimentos rápidos seguindo a música. Não é um ritmo romântico, por isso deve ser dançado pelo maior tempo possível, pois cansa um pouco. Os nordestinos costumam dizer que há dois tipos de forró: o pé de serra, o mais antigo, e mais moderno. Uma nova versão do forró surgiu no Sudeste, chamada de universitário, que utiliza elementos eletrônicos em sua execução, como a bateria, o teclado, o contrabaixo e a guitarra. Na versão original dos anos 50, não há tais instrumentos no ritmo. O ritmo costuma embalar quadrilhas durante o são joão, e é típico desta festa do meio do ano, que é muito forte na Região Nordeste. Os cantores mais famosos de forró hoje são Luiz Gonzada(falecido) e Dominguinhos. Brega Pouca gente sabe como surgiu o brega de fato, um ritmo tipicamente nordestino que não contagiou o resto do Brasil, mas é muito forte na região. Com o uso de elementos eletrônicos em sua execução, o ritmo tem uma batida agitada e deve ser dançando bem junto, em passos rápidos ou rebolados intensos com um bom requebrado de cintura. As letras são simples e fáceis de memorizar, por isso é considerado um ritmo popular. Os cantores de brega mais conhecidos são Reginaldo Rossi e Adilson Ramos. Sertanejo Chama-se de sertanejo o ritmo nacional derivado do country norte americano. De fato as bases são as mesmas: os artistas usam roupas semelhantes baseadas no couro de animais, cantam com base no violão, e o tom romântico está presente em todas as letras e vozes. O ritmo é típico das cidades interioranas do sudeste e centro oeste do Brasil, em zonas rurais em que a vaquejada e boiadas são eventos tradicionais. O sertanejo já foi um dos ritmos mais conhecidos no Brasil e cantado em todas as regiões. Nos anos 90 foi uma febre nacional e diversos nomes se destacaram no cenário nacional, como com as duplas Leandro e Leonardo, Chitãozinho e Xororó e Zezé de Camargo e Luciano. O estilo voz principal e back vocal para complementar se mantém até hoje com novas duplas sertanejas, que surgem a cada dia. Algumas novas vozes renovaram o ritmo, como Paula Fernandes que faz o que chamam de sertanejo romântico. Contudo, as canções clássicas do sertanejo dos anos 90 ainda se mantem fortes nas vozes novas. Os maiores representantes do ritmo são Roberta Miranda e Sérgio Reis. Funk Carioca O funk carioca é um dos ritmos locais mais conhecidos em todo o país. Com a explosão do funk nos anos 90, todo mundo, mesmo que não curte, conhece algumas rimas famosas de cantoras conhecidas como Tati Quebra Barraco. O estilo musical surgiu nas favelas do Rio de Janeiro e tem inspiração no funk dos Estados Unidos, mas é bem diferente. As letras são simples, rimas básicas para pegar fácil, mas que fazem todo mundo remexer. O importante no funk não é dançar com alguém, mas requebrar a cintura bastante e sozinho mesmo na pista. Axé O axé é um ritmo típico da Bahia, Estado da região nordeste, mas conhecido em todo o Brasil. O ritmo é uma junção dos movimentos de capoeira, do candomblé com ritmos vindos da África trazidos pelos escravos no começo da colonização do Brasil. Hoje é um dos ritmos mais famosos e ganhou diversas variantes, ficando um pouco romântico e até com canções de amor, mas ainda contagiante. É intenso e deve ser dançado sozinho, mesmo que algumas pessoas gostem de fazer coreografias para dançar juntas. Os principais representantes do axé hoje são as cantoras Ivete Sangalo e Claudia Leite. Nos anos 90 o ritmo ficou famoso por arrastar multidões no carnaval da Bahia, e acabou ficando famoso em todo o Brasil por ser presença constante em programas de televisão. Muitos dos cantores e bandas da época tocam até hoje, como a banda Asa de Águia, Chiclete com Banana, dentre outros. Carimbó Ritmo típico da região norte, o carimbo é amplamente ouvido em diversos estados da região o qual pertence. Faz parte da cultura local e tem como base cantos dos índios e influencias nos ritmos da natureza. É dançado em roda e com ritmos feitos com instrumentos naturais de batida e sopro. Lundu O lundu também é um ritmo típico da região norte e pouco conhecido em outras regiões do Brasil. Mistura ritmos da Angola e da corte portuguesa vindos dos tempos de colônia, com batidas fortes e envolventes.  Usa instrumentos de corda para marcar o ritmo, mas nada elétrico.

Você conheceu um pouco mais sobre o Estilo Musical Regional.


Patrocinado